Editorial

A Fundação Inatel tem a sua missão e genética associadas à promoção da cultura popular. Tem sido historicamente incontornável na divulgação e manutenção da etnografia e do folclore nacionais e no apoio às bandas filarmónicas locais. Emerge assim nas manifestações culturais do nosso povo, mas não se afunda nelas.

Ela tem de ser ao mesmo tempo um catalisador da renovação e da inovação das nossas manifestações culturais mais profundas. E é.

Vivemos um tempo de pressão para a harmonização dos hábitos, mas ao mesmo tempo de renovação, inovação e recuperação, pelos jovens, dessas formas populares nacionais, de forma a preservar a diferença e a essência da nossa cultura. Do fado à música tradicional portuguesa, do cante alentejano à recuperação do artesanato na cultura erudita, da dança popular à contemporânea, da arquitetura tradicional à moderna, da cultura local ao turismo, da gastronomia popular à gourmet. A cultura e saberes populares são fontes de inspiração, de portugalidade, de unidade nacional e de criação de valor económico.

É com esta função e visão que a Fundação se une ao Festival Músicas do Mundo (FMM) e à Autarquia de Sines, num dos maiores festivais de world music. Uma prova concreta de que os portugueses e, sobretudo os jovens, apreciam e procuram manifestações inovadoras e diferenciadoras, no âmbito musical, a partir da essência da genética cultural dos povos.

Esta parceria tem duas funções. Associar a Inatel à essência da sua missão, mostrando que ela é fator de modernidade e futuro, e estimulando, pelo exemplo e pelo efeito demonstração, as potencialidades artísticas que se abrem, sobretudo aos públicos mais jovens.

Segundo, desenvolver sinergias que tragam muitos dos artistas, nacionais e mundiais, associados a esta rede, ao Teatro da Trindade Inatel e a Lisboa, tornando este espaço da Fundação, uma grande montra de world music em Lisboa e de ligação da cultura popular e trabalhadora nacional ao Mundo, a partir da velha, histórica e bela Olissipo.

Com esta parceria a Inatel cumpre a sua missão. Trazer a cultura do povo. Divulgá-la. Dar a conhecer quem a promove e nela inova. Devolvê-la ao Povo.

Francisco Madelino