Saberes

Tríade de homofonias

 

Tantos e tão frequentes são os erros ortográficos decorrentes da confusão entre as palavras terminadas em ssão e ção, que se impõe partilhar convosco o esclarecimento acerca da razão essencial da distinção.

Ora bem, fundamentalmente é a etimologia que determina as situações em que uma ou outra ocorrem. Veja-se o caso do substantivo discussão grafado com dois ss. Se assim acontece é porque já discussio, onis, a palavra latina que está na sua origem, de igual modo se escrevia.

Ainda, por exemplo, nos casos de sedução, [com ç], e demissão, [com duplo s], a mesma justificação etimológica lhes assiste, porquanto, na respectiva origem, teremos seductio, onis e demissio.

Entretanto, jamais pretendendo complicar, porque estou ao vosso serviço na tentativa de explicar, aproveitaria a oportunidade para apresentar um caso interessante que, ao mesmo enquadramento dos antecedentes, acrescenta o sedutor ingrediente da homofonia. Refiro-me à tríade cessão, sessão, secção.

Cessão [com c, ss] provindo de cessio, onis, remete-nos para o acto de ceder – do verbo latino cedere (ceder, não resistir) com o particípio cessus (cedido). O escritor decidiu fazer a cessão dos direitos de autor a uma associação local de defesa do património.

Sessão [com s, ss] tem origem em sessio, onis, a atitude de alguém ficar sentado – do verbo latino sedere (sentar) com particípio sessus – fazendo parte de alguma coisa como, por exemplo, uma reunião da Assembleia Municipal ou como espectador numa sala de cinema. Hoje, há uma sessão do filme às seis da tarde.

Secção [com s, ] remonta a sectio, onis e ao verbo secare (cortar) cujo particípio é sectio (cortado). Através de um processo de evolução fonética extremamente frequente evoluirá até secção do Português actual, com o significado de corte, divisão. A secção de pronto a vestir fica no primeiro andar, logo à saída da escada rolante.

João Cachado

[O autor escreve de acordo com a antiga ortografia]